28.8.10

Shakespeare Continua Tocando Minha Alma

Aprende que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança.

Aprende que o que importa não é o Quê você tem na vida, mas sim Quem você tem na vida. E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando, e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que com a mesma severidade que julgas, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido, pois o mundo não pára pra que esperar que você o conserte.

E você aprende que realmente é forte e que pode ir muito mais longe – mesmo após ter pensado não ser capaz.

Aprende que a vida realmente tem valor, e que você tem valor diante da vida.

(William Shakespeare)

Depois disso, sem comentários de minha parte!

26.8.10

Relaxa e Quica (?)

Gente, acabei de ouvir esse funk (horroroso por sinal) sobre um cara que ensina a menina a ter uma relação sexual (ou algo desse tipo). Comecei a pensar: Gente, coitada da menina, precisou do cara fazer um funk pra tentar ensinar à pobre como se comportar e agir lá na intimidade. Não deve ter muita percepção...Pensei bem! Não, ele não tá bancando o professor! A música está mais para um discurso machista de um cara que se preocupa mais com o prazer próprio que do casal. E isso acontece muito por causa das relações informais de hoje em dia. Cada um entra no quarto do motel pensando em "relaxar e gozar" e que se dane a pessoa que estiver lá também (aliás, não é raro se ouvir falar de homens que nem sequer lembram o nome da menina com quem dormiram na noite anterior). E não estou me referindo apenas aos homens, a mulherada hoje também está terrível! Tem muita feminista por aí que faz questão de não se envolver, pra não pagar de "mulherzinha fraca", pra não correr risco de se magoar... Pior é que com essa postura, elas acabam é se magoando mais, tendo dois trabalhos: Primeiro, lutar contra carinho e qualquer sentimento que possa surgir quando encontram alguém legal e segundo se esconder atrás da armadura de ferro imaginária, caso esse sentimento surja.
Tá, também não vou falar que elas não se divirtam, pelo contrário, devem se divertir muito. Mas é um prazer mais que efêmero, o prazo de validade é muito curto pelo preço que se paga. Se sentir usada é normal para mulheres (e alguns homens) que curtem One Night Stand, pois correm sério risco de querer repeteco quando se amarram em um cara, e ele tratá-las como um copo descartável (usou, lixeira). E ninguém gosta de se sentir usado (por mais que o uso tenha te feito virar os olhinhos, querida!).Não sou muito de dar conselhos quando o assunto é sexo, mas acredito que essa questão tenha mais a ver com amor-próprio que com sexo em si.

Portanto, deixo o conselho aos meninos e às meninas de plantão: Curtam sim a juventude, a solteirice, as novidades. Mas se protejam (e não falo só de camisinha). Protejam sua dignidade, sua auto-estima, sua moral e seu coração. Pense que mais vale uma noite com você e sua mão do que com um cara ou uma menina que não representa nada para você e vice-versa. Existem tantos brinquedos eróticos por aí hoje em dia... Se a necessidade bater forte, vá fundo. Pense no seguinte, se você tem uma das mãos livres, fica mais fácil atender a ligação daquela pessoa realmente interessante, caso ela resolva dar as caras... rsE pra concluir o pensamento inicial (do relaxa e quica), caso um dia você se pegue em uma situação assim, onde o cara ou a menina queiram ficar te dizendo como agir o tempo todo, estilo "passo-a-passo para me fazer gozar" e isso for em exagero a ponto de te irritar, não se intimide em falar em alto e bom som: Ei, relaxa, filhote! Eu também estou aqui, não precisa ficar narrando. Faz o teu que eu faço o meu (tá, pode ser com palavras mais doces, fica a seu critério). Mas não esqueça, se você ou quem está com você precisa ficar narrando pra ver se o negócio fica bom, é sinal de que não está bom (e talvez seja melhor trocar não a posição ou o orifíco em questão, mas sim o companheiro).

Claro que é sempre bom ter cuidado ao analisar, pois um toquezinho de vez em quando sobre preferências e tudo o mais, conforme a afinidade e a intimidade aumentam, pode fazer milagres!!!

25.8.10

Perfume

Quem não gosta de cheiro bom? Quem não é capaz de identificar alguém especial pelo cheiro, mesmo sem perceber? E mais, quem não pode descrever coisas boas e ruins pelo cheiro também?
Exemplo, estou sentindo cheiro de novidade no ar, e se meu olfato não se engana, é coisa boa, viu?!
Só não faço idéia do que! Confesso que já me divido entre a esperança de que algo novo surja ou que algo antigo se recicle... Não sei... Vai saber! Ainda não descobri o cheiro disso. Pra mim, novidade é tudo igual até que elas aconteçam de verdade. Torçam aí para que seja alguma coisa boa de fato, seja lá o que for...

Não tem como não dividir com meus queridos um trecho de um texto lindíssimo que a fofa da Vanessa Monique escreveu no blog dela (clique aqui pra conferir na íntegra)

Borboleta é o que eres,
com suas próprias asas
voa até os mais belos jardins,
retira de cada um deles o pólen que te dá a vida
e no final voltas para o primeiro que lhe acolheu.
És certo que vais voltar,
só não sei quando e como.
Mas uma hora volta e é só isso que sei.
Então te dou desde já as minhas boas vindas:
Boa volta!


Vale muito uma visita, além de ser uma querida, ela escreve bem e SEMPRE me emociona com suas palavras doces, cheias de sentimento. Acredito que minha admiração pela escrita de Vanessa seja porque ela escreve coisas que eu até penso, mas não tenho doçura suficiente pra expressar. Pode ser que naquelas palavras eu encontre a magia que me faltou de fábrica... rs

E depois de cheiros e doçuras, me despeço aproveitando para fazer uma ressalva sobre o post anterior, polemicaço! Algumas pessoas me procuraram via twitter para elogiar e outras para dizer que eu estou fazendo discurso feminista e tals. Bem, quem me conhece sabe bem que eu sou pouco feminista (na verdade, bem pouco mesmo), mas que acredito que liberdade nada tem a ver com feminismo. Eu sou livre e tenho orgulho de ser assim. Por exemplo, amo meu trabalho porque ele me proporciona independência financeira, o que ajuda muito na conquista da liberdade. Mas não de atos e comportamento, mas na liberdade de pensamento, que é o que realmente importa. Eu tenho o direito de pensar o que quiser e de levar a vida da forma que julgar melhor. Se isso pra você é feminismo, eu lamento! Pra mim, é auto-conhecimento, o primeiro passo para a felicidade.

23.8.10

É Disso que o Velho Gosta

É isso que o velho quer... Aliás, quem no Brasil não é fissurado em sexo? Acredito eu que até as freiras em seus conventos devam tomar banhos e mais banhos frios para tentar livrar a mente de pensamentos promíscuos.
Pois bem, eu não estou em um convento! Então, quando pensamentos promíscuos me invadem, como agora, prefiro pesquisar sobre o assunto na net, tentando tornar o instinto algo mais intelectual (mas confesso que depois de 4 taças de vinho, o intelecto falha demais rs). Aí eu comecei a pensar sobre isso e resolvi atender a pedidos do pessoalzinho que acompanha o blog e vem pedindo para eu falar sobre sexo. Então, lá vamos nós e seja o que Deus quiser.
Primeiro, uma coisa engraçada. Descobri que apesar de muito mais íntimos, é muito mais fácil falar de sentimentos do que de sexo em si, ao menos para a mulher. Afinal, mulher não foi feita pra dizer que gosta de sexo, pra levantar bandeiras... Isso soaria leviano e tudo o que uma mulher não quer é parecer leviana. Concordo com isso, mas discordo com a parte que diz que pensar e gostar de sexo é leviano quando parte de uma mulher. Nós pensamos naquilo sim e gostamos muito. A diferença é que algumas assumem, outras preferem fazer a linha. E quando você se assume sexualmente, corre sério risco de ser tachada de feminista devassa, mesmo quando não tem nada a ver. Não é porque você tem coragem de dizer que se sente bem quando pratica sexo e tira a máscara de virgem casta, que perde seu valor e vai sair dando pra qualquer um. Fala sério, isso não tem nada a ver.
Assim como não tem nada a ver o ser humano negar que treme quando ele te pega pelo cabelo da parte de baixo da nuca, assopra no teu ouvido aquele vapor quente enquanto te diz num tom de quase gemido que você é a mulher mais gostosa de todas, que ele não queria estar em outro lugar que não ali, parado no tempo, se juntando a você. Quando ele te abraça aquele abraço que você vai sentir por 3 dias, como se os braços dele tivesem ficado grudados nas tuas costas, como se o cheiro dele se entranhasse permanentemente em suas narinas ( e quem disse que não, né?! afinal, toda vez que lembra dele é capaz de reconhecer o seu cheiro). Aquele momento tão mágico que você depois lembra como se tivessem sinos tocando em seu redor, mas na hora lá, só consegue mesmo é ouvir a respiração daquele que você escolheu para estar ao teu lado, e quanto mais ofegante essa respiração, mais bacana vai ser tua "performance", pois o que te motiva é o prazer que está proporcionando (o que eleva o teu prazer à terceira potência, mesmo sem ele notar isso).
Enfim... Sexo não tem receita, depende da tão falada química. E é bom lembrar que nem sempre o que é bom na cama é bom fora dela. Existem muitos relacionamentos que são uma porcaria e duram pela afinidade na cama, outros o contrário: São muito legais, mas a intimidade é mais como uma mesa de bar que um quarto de motel. Cabe a você definir o que é mais importante e rezar para que tenha capacidade e sorte de reunir as duas coisas (prazer e amor) em uma só pessoa. A mim, cabe apenas te desejar BOA SORTE!

22.8.10

Pensamentos Soltos

Enquanto você fica nadando contra a maré, eu vou ficar sentada à beira do mar, esperando que as ondas façam o serviço de te convencer que seu lugar é na areia também. Maaaaaas, já que estou sozinha na areia, vou tomando uma água de côco, passando protetor solar e ouvindo uma música no MP3 para não entediar. Só vê se não demora muito, porque se acabar a água de côco, o sol esfriar e eu enjoar das músicas repetidas, pode ser que o vento me leve pra outra praia.

Final de semana perfeito com as amigas. De vez em quando isso é bom pra gente ter certeza de que carinho sincero só faz aumentar com o tempo. Estive pensando se minha vida melhorou de uns tempos pra cá, pois tenho me sentido muito melhor. Acabei descobrindo que não, a vida não melhorou! Quem melhorou foi eu, que aprendi a entender e aceitar minhas vontades, meus desejos e a gostar do que eu sou e a assumir as teses que acredito.

Por isso, desejo de coração que o mundo todo possa passar por uma fase boa consigo mesmo como eu estou passando. Se desse pra ver a energia que estou emitindo, acho que ela seria azul da cor do céu, de tão bacana... Falando em energia, não esqueça que a mesma antena que emite nossa energia, recebe a do mundo em troca. Transmita sempre o bem e o bem você terá, FATO!

Vida de Ventos e Velas

Vida que vem e que vai...
Enfim, não estou em um momento muito romântico, mas estou em um momento feliz.
Sensação de que algo bom está por vir aí, cada vez mais próximo. O problema é que normalmente eu fico pensando no que será a novidade boa, o dia que ela vai acontecer e a minha reação. Aí, acontece algo diferente do que planejei (até melhor se duvidar) e eu me decepciono e não percebo a coisa boa só porque não era o que estava esperando.
Sei lá, estou ansiosa, tem muitas coisas penduradas na minha vida nesse momento, e eu não vejo a hora de resolver todas elas para desocupar os cabides e encher de outras coisas a resolver.
Estou meio eufórica, as palavras não conseguem se encontrar e fazer sentido, mas pra encerrar, apenas uma observação: existem pessoas na minha vida que não têm noção da capacidade de influenciar na minha felicidade, meu humor e bem-estar. Talvez eu até tente mostrar, mas elas preferem se anular, fingindo que não passa de encenação. Gostar de mim dá trabalho, não é pra qualquer um... rs
Quando amo, é de verdade. Quando desejo, é com intensidade e quando eu quero, de um jeito ou de outro eu acabo conseguindo (fica a dica).

19.8.10

Oração da Madrugada 2


Senhor, acho que nunca estive tão bem. Problemas? A gente tem. Amor? Também. Felicidade é desejar o bem e não fazer mal a ninguém. Amém!

Aprendendo a Lidar com a Rejeição

Muita gente me considera carrancuda, grosseira e fria hoje em dia, mas quem conhece há bastante tempo sabe que essa é apenas a capa que eu mesma costurei para me proteger dos males da vida, principalmente os amorosos. Explico:
Quando era mais nova, posso dizer que não tinha muita sorte no amor (mesmo sem ter beijado um carinha mascarado em uma festa). Então, tive que aprender a lidar com a rejeição, aprender que eu não sou a materialização do encontro entre Linha do Equador e Meridiano de Greenwich, muito menos irresistível, absoluta (mesmo porque nem tenho um Crossfox... rs).
Mesmo na cabeça desmiolada de uma aborrecente de 15 anos, tive sorte por Deus ter plantado uma semente de sanidade entre tantas outras que não vingaram. Comecei a gostar de um menino (que hoje em dia consigo descrever como NADA A VER e nenhum outro adjetivo me vem à mente) e ele obviamente não gostava de mim. Na verdade, acho que por isso eu cismei com ele, problema com rejeição eu tinha. Maaaas, ao invés de perseguir o menino com uma frigideira na mão estilo Baby Dinossauro repetindo VOCÊ VAI TER QUE ME AMAR, eu decidi me tornar alguém melhor para que ele simplesmente um dia olhasse e pensasse: "Nossa, ela é incrível! Como pude viver sem ela até hoje?" Daí por diante nem sei o que faríamos, pois a minha vontade mesmo era a conquista, despertar nele esse desejo sufocante por mim era minha única meta.
E a evolução não se referia unicamente a academia e roupas novas. Cuidei do que realmente pode fazer um ser humano feliz. Não me contentava em ser boa aluna, tinha que ser a das maiores notas. Fiz muitos amigos, pois tinha que estar sempre cercada de gente pra me ajudarem a manter o sorriso largo no rosto. Quem não gostaria de uma menina sorridente, de bem com a vida? Pois é, ele não gostaria. Aí foi uma sequência de coisas, faculdade, trabalho, namoradicos... Até um dia, já com uns 20 anos, uma amiga me contar que ele tinha terminado com a então namorada e me fazer a pergunta: "E agora, Cintia... Se ele te procurar e disser que quer tentar com você, o que você vai fazer?". Eu dei uma risada alta e disse que nem passava isso na minha cabeça, que não tinha nada a ver tentar com ele. Eu estava estudando, morando e trabalhando em outra cidade, saindo bastante, conhecendo gente legal, diferente, ampliando meus horizontes... Enfim, percebi que ele já não cabia mais nos meus planos, que eu já havia evoluido demais para aquela relação e te falar, sou muito grata a ela, viu? Pois se não fosse por isso, talvez não teria sido melhor aluna da turma, nem feito estágio, dois cursos e escola técnica ao mesmo tempo (e aprendido a me virar nesse mundo de cão que temos aí fora), nem conhecido todas as pessoas que conheci, nem visitado os lugares que visitei, nem teria me conhecido um pouco para não me atropelar no relacionamento com alguém que gosta de mim de verdade.
Todo mundo passa por isso ao menos uma vez na vida! E pra mim vale mais aquele ditado: "Quando um não quer, dois não brigam", pois não adianta, ou a paixão surge naturalmente ou não vai rolar. Somos diferentes e não podemos obrigar ninguém a gostar de nós. O que eu faço é cuidar de mim. Resolvi que deixando bem claro meus gostos, estudando, fazendo o que gosto e cuidando de minha saúde, beleza e bem-estar, estarei não marcando o caminho com migalhas de pão para que uma pessoa específica volte, mas decorando de pedrinhas cintilantes o meio-fio da estrada que leva até mim, para que mesmo os que resolverem caminhar por ali somente de passagem possam levar uma lembrança boa do que eu sou.

Tá com tempo e gostou do tema? Abaixo um texto MARAVILHOSO da Martha Medeiros, provando que minha filosofia não é tão somente minha... rs

Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo “olha, não dá mais”. Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo,mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?
Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu “mas agora eu to comendo um lanche com amigos”. Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não voltava pra mim?
Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.
Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito. Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve. Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos e filha única Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi que eu tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim. Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres,rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.
Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar.Resultado disso tudo: silêncio absoluto.
O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher que eu acabei me tornando mulher demais para ele. Ele quem mesmo?

18.8.10

Oração da Madrugada

Senhor, tira de mim essa vontade de escrever coisas de amor, principalmente de amores impossíveis, improváveis e impensáveis.

Tira meu coração dessa esquina, dessa encruzilhada (e falando nisso, livra-me de todo trabalho feito para meu mal, caso haja), onde todas as vias são de mão-única, onde só trafegam perguntas, nunca respostas.

Tira essa preguiça de virar a página, de abrir os olhos, de esticar as pernas. Preguiça de abrir os braços e sentir o vento trazendo novidades, coisas boas.

Tira essa minha incapacidade de admitir (mesmo que para mim mesma) que o problema do mundo não sou eu e que o mundo não é o problema pra mim. Me ajuda a acreditar mais em mim de verdade, não só da boca pra fora.

Me ajuda a valorizar ainda mais o afeto que conquistei das pessoas que vêm passando por minha vida durante esses anos. Me ajuda a desejar de verdade retribuir o carinho que me é entregue sem pedir, todos os dias (pois só quando vem do coração é que é válido).

E principalmente, me ajuda a cada dia fazer menos mal aos outros, para que um dia consiga evoluir a ponto de começar a realmente fazer o bem.

Sem mais, AMÉM!

10.8.10

No Aperto


Ai, aquele aperto no peito, aquela dor não medicinal que me ocorre toda vez que penso no teu rosto, na tua boca, no teu toque...
Aquele aperto é diferente do que eu sentia quando você me abraçava e me beijava e tocava meu cabelo pela nuca, sussurrando no meu ouvido o quanto aquele momento era especial...
Era! Do verbo passou, já era, não tem mais!
Será?!
É por causa desse maldito será que o peito dói. Porque a razão tenta enviar a mensagem que acabou, mas o coração insiste em não receber essa mensagem, rebate e bate ainda mais forte, forte o bastante para mandar o recado indesejável do fim pra bem longe...
Mas coração é sintonia, só funciona bem quando conectado a um outro. E não dá pra se conectar a um coração com o Bluetooth® desligado. Então, fala mais alto a razão, pois coração fora de sintonia bate sem ritmo, descompassado, e enfraquece, e enlouquece...
Razão não! A razão é egoísta, auto-suficiente, poderosa, imbatível. Peraí, eu disse imbatível? Claro que não é! Basta que o coração encontre um outro vagando por aí e que eles se conectem. Aí, ele volta a bater forte, implacável, e duvido que haja qualquer razão que consiga impedir que o coração fale mais alto. Pois como já dizia Blaise Pascal:

"O coração tem razões que a própria razão desconhece"

7.8.10

Destino

Vai saber se o destino é feito de coincidências ou de consequências.
Na dúvida, eu faço a minha parte!
Bom domingo, feliz dia dos pais pra quem tem pai, pra quem é pai, pra quem gostaria de ter tido um, pra quem sente saudade do seu, pra quem tem mais afinidade com o pai de um amigo que com o seu próprio... Enfim!
Vou aproveitar e ligar para o meu (aliás, não posso esquecer como no ano passado... rs). Vai ser bom ter notícias dele depois de sei lá, uns 5 ou 6 meses sem nos falarmos (vou saber exatamente quanto tempo de silêncio logo mais, quando perguntar pela última filha dele e ele me disser com quantos meses ela está). Já sei, você deve estar pensando "Jesus, mas que filha mais desnaturada". Pois é, há um tempo atrás era o contrário.
Agora, dizer se é coincidência ou consequência fica por sua conta. O que eu sempre costumo dizer é: "Ai ai, é a vida!"

E Que Se Dane...

Estou eu aqui. degustando momentos de fúria por conta de todo o atraso no processo de compra de minha casa nova e de tristeza passional, com algumas pitadas de stress corporativo. Um banquete que por si só já faria qualquer um ter uma bruta indigestão. Mas como Murphy é um maldito e tinha que criar aquela lei mais maldita ainda de que nada é tão ruim que não possa piorar, ainda resolveram me aparecer críticos de vida (uma variante na tão odiada gama de críticos: gastronômicos, de cinema, de teatro, de carros, de botecos, de pés, de bundas de avós...). Enfim, umas pessoas mais malditas ainda que Murphy e a porcaria da lei dele que se divertem perdendo tempo julgando e dando veredictos sobre a vida dos outros, inclusive a minha.Vou explicar. Mudei a foto do meu perfil no orkut. E tem uns seres que resolveram falar sobre ela: "Nossa, que foto louca", "Por que você colocou essa foto aí?", "Parece que você está bêbada", "Parece que está drogada"... E daí, cara?! Eu coloquei a foto lá porque eu quis, porque eu gostei e porque de certa forma, ela representa alguma coisa pra mim. Não coloquei pra ouvir a opinião de ninguém. Aliás, até o Google sabe disso, pois se fizesse alguma diferença, haveria um balãozinho pra você inserir comentários sobre aquela foto, mas não há!!!!

A polêmica foto!

E eu não vou baixar o Photoshop no meu PC só pra ficar com a cara que as pessoas querem, pra ninguém perceber que eu tenho um olho levemente mais aberto que o outro. Quero mais é que se dane. Se eu estiver a fim, vou lançar uma foto bem maquiada e de chapinha. Se não, vou colocar uma foto de olho fechado sim, fazendo bico sim, ou até mesmo da minha bunda, ou da bunda do Jorge Fernando, tanto faz! Aquilo é meu espaço, assim como aqui também. Então, não me venha dizer o que eu posso ou não, o que eu devo ou não fazer, postar e falar.
É muita TPM, muito trabalho e muita ralação pra uma pessoa só. Então, no pouco tempo que me sobra, gostaria de ouvir coisas boas, bacanas... E essa gentinha ordinária fica tentando sugar qualquer momento de relaxamento de minha vida. Vão todos se danar, meia horinha lá na esquina, com o Paulão do caminhão (ou com quem preferirem, não me importa). Enquanto isso, eu estou aplicando a filsosofia do cavalo da parada de 07 de Setembro:

Cagando, andando, desfilando, fazendo pose e sendo admirada por isso.

4.8.10

Blá!

Descobri que tanto faz sorrir ou chorar, tem que ser por mim. Pensar demais nos outros nos faz esquecer de nós mesmos.
As pessoas passam, viram lembranças. Assim como acontece para a gente, acontece com a gente. Existem pessoas inesquecíveis, mas que sem contato, a gente acaba tornando essas lembranças cada vez mais distantes, até que pareçam inexistentes.
Esse processo é natural, é assim que acontece mesmo, não tem jeito. Só é ruim quando o que pra gente ainda é inesquecível já se tornou lembrança distante pra outra pessoa.
Enfim... Vou parar por aqui e fazer meu menor post até agora porque neste momento, bateu uma tristeza inexplicável e eu não quero deixá-la registrada aqui pra sempre (acho que já é tarde demais, mas não quero piorar). Fui!

2.8.10

Felicidade

É só comigo ou vocês também acordam certos dias com uma sensação boa, sem motivo nenhum aparente?!
Quando isso acontece comigo, eu gosto mesmo é de ligar o PC, fazer uma playlist bem animada, só com músicas que eu gosto muito, aumentar o som e cantar muito junto (dançar até, um pouco mais timidamente se estiver aqui no trabalho... rs).
Hoje acordei exatamente assim, cantando pelos corredores, com a música alta na sala, um sorriso largo e zoando todas as pessoas que passam pela minha frente.
Mas aprendi uma coisa importante para prolongar essa felicidade espontânea. Melhor não expor muito para qualquer um, pois existe uma enorme quantidade de gente que sente prazer em estragar o prazer dos outros. Então, pra evitar que cortem meus momentos "ursinhos carinhosos" (sem alusão ao LSD, por favor), eu prefiro ficar mais tempo sozinha, com as músicas, os livros e todos os blogs que eu adoooooooooro... rs. Sem falar no MSN, onde tudo é mais fácil... As pessoas podem notar que você está feliz, mas dificilmente no mundo virtual seu sorriso vá incomodar tanto um invejoso quanto pessoalmente.
Lembre-se: É mais fácil ser tachado de louco e incompreendido do que conseguir achar razões óbvias para explicar a felicidade, pois felicidade não se explica, apenas se sente.

1.8.10

Shakespeare Toca Minha Alma

Pois é... Incrível como esse homem pode ter deixado tanta coisa boa e importante escrita. E mais incrível ainda é como tudo o que ele escreveu é capaz de me tocar a alma... A última foi essa:

Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas... só as de verão.
Mas, no fundo, isso não tem muita impotância.
O que interessa mesmo não são as noites em si, mas os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre,
em todos os lugares e em todas as épocas do ano,
dormindo ou acordado.

Isso me fez lembrar da liberdade que tenho quando me concentro no que rola dentro da cabeça enquanto o mundo pega fogo do lado de fora.
Me fez lembrar o quanto é importante deixar a mente trabalhar, e prestar atenção no trabalho que ela faz.
É o sonho que me impulsiona a fazer minha realidade melhor.
É o sonho que me faz bolar planos infalíveis (e rir sempre que eles não funcionarem, pois somente nos sonhos os planos são infalíveis).
É no sonho que eu não me machuco, não sangro, não machuco.
É lá que posso voar, amar e sentir.
Mas é bom acordar do sonho de vez em quando (acordada ou não) para poder fazer acontecer. Sonhos são bons, mas normalmente as coisas simplesmente acontecem. É bacana, claro! Mas não sei se a vida com tudo sendo possível e as batalhas vencidas sem precisar de lutar... Sei não, mas acho que ia ser muito entediante.
Prefiro a realidade. Com todos os leões e as cobras que devo enfrentar diariamente (vencendo ou não), todas as quinas nas quais vou bater os dedinhos do pé e todos os engarrafamentos que as passeatas políticas causam. É só por causa dessas adversidades que o sonho fica tão interessante (e realizar um ou outro idem). Se toda situação na vida fosse confortável, todos se acomodariam em seus lugares e o mundo pararia.
A inquietude que me consome hoje é o combustível que me leva a lutar por um amanhã diferente. E é assim todos os dias.

Doidas e Santas

Toda mulher é doida. Impossível não ser.
A gente nasce com um dispositivo
interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a
pena ser vivida, e dá-lhe usar o nosso poder de sedução para encontrar the big one, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos
sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá prá
ocupar uma vida, não é mesmo?

Mas além disso, temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar loura e cafetina, ou sei lá, diga aí uma fantasia
secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me
diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada,
dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante.
Pois então. Também é louca. E fascina a todos.

Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.

Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está
chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que
só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje
mais nada? Você vai concordar comigo: só se for louca de pedra.

Martha Medeiros

Descobri esse texto perfeito no perfil da minha prima Letícia. E era incrivelmente o que eu estava precisando pra refletir um pouco (depois explico em outro post). Bom domingo!

Drummond puxou Minha Orelha

Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático,
não aquece nem ilumina.
As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais não contam.

Não faças poesia com o corpo,
esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso à efusão lírica.
Tua gota de bile, tua careta de gozo ou de dor no escuro
são indiferentes.
Nem me reveles teus sentimentos,
que se prevalecem do equívoco e tentam a longa viagem.
O que pensas e sentes, isso ainda não é poesia.

Não cantes tua cidade, deixa-a em paz.
O canto não é o movimento das máquinas nem o segredo das casas.
Não é música ouvida de passagem, rumor do mar nas ruas junto à linha de espuma.

O canto não é a natureza
nem os homens em sociedade.
Para ele, chuva e noite, fadiga e esperança nada significam.
A poesia (não tires poesia das coisas)
elide sujeito e objeto.

Não dramatizes, não invoques,
não indagues. Não percas tempo em mentir.
Não te aborreças.
Teu iate de marfim, teu sapato de diamante,
vossas mazurcas e abusões, vossos esqueletos de família
desaparecem na curva do tempo, é algo imprestável.

Não recomponhas
tua sepultada e merencória infância.
Não osciles entre o espelho e a
memória em dissipação.
Que se dissipou, não era poesia.
Que se partiu, cristal não era.

Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
Tem paciência se obscuros. Calma, se te provocam.
Espera que cada um se realize e consume
com seu poder de palavra
e seu poder de silêncio.
Não forces o poema a desprender-se do limbo.
Não colhas no chão o poema que se perdeu.
Não adules o poema. Aceita-o
como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada
no espaço.

Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
Trouxeste a chave?

Repara:
ermas de melodia e conceito
elas se refugiaram na noite, as palavras.
Ainda úmidas e impregnadas de sono,
rolam num rio difícil e se transformam em desprezo.

Procura da Poesia
Carlos Drummond de Andrade

Seguidores