30.10.10

Ainda Sobre Política

Aproveitar que hoje acordei inspirada e falar (mal) do assunto do momento: Eleições!
Vocês todos já sabem minha opinião desde o primeiro turno a respeito da dentinhos-de-cachorro, mas eu não canso de fazer apelos porque me recuso a aceitar a possibilidade de aturar aquele Poltergeist por quatro anos (arrepia a espinha pensar em possíveis oito) na minha frente em jornais, revistas, internet e televisão. Me recuso a pensar que aquela cara de botina será a minha cara perante autoridades do resto do mundo (fala sério, minha cara não é das melhores, mas a dela é demais), que aquele troço que nem sabe falar direito (tomando por base os debates, como já disse antes, onde todas as questões são muito ensaiadas e premeditadas e mesmo assim a troceba se enrola) será a voz do Brasil (não a que rola no rádio) por infinitos 48 meses...
Já cansei de bater nessa tecla, mas vou bater de novo mesmo cansada, a Dilma não é o Lula!!!! Minha questão agora não é falar mal ou bem dos 8 anos do nove-dedos comandando nosso país, a questão é essa lavagem cerebral que o PT resolveu fazer, vendendo a impressão que Dilma = Lula, sendo que quem estudou um pouquinho de Matemática sabe que eles são apenas elementos contidos no mesmo conjunto verdade chamado PT, mas que não são equivalentes. Eu vejo o Lula na presidência como aquele cara do Big Brother, o primeiro vencedor (esqueci o nome), que tinha uma boneca feita de tralhas. Ele não deveria ser campeão, era um idiota boboca sem conteúdo, mas o Brasil ficou tão comovido com o apego dele com uma porcaria de uma boneca de tralha que resolveu nomeá-lo o primeiro campeão BBB do país. E a história do BBB prova que essa linha de raciocínio é contínua, até que um dia o diretor da atração resolveu elevar o nível do programa (que estava meio que "queimando" o filme da Globo para olhos mais sérios e para fins gerencias, mais importantes), colocando gente mais estudada, mais educada e menos "baixa-renda" na atração, pra acabar com essa idéia de "Tadinho, tão pobrezinho... Vou votar nele porque ele PRECISA mais do dinheiro que o fulano, apesar de ele ser um belo de um fofoqueiro filho da p#ta". Enfim, voltando ao raciocínio político, acho que com o Lula aconteceu isso, ele queria tanto ser presidente que o pessoal resolveu ser solidário com ele, ajudá-lo a realizar seu grande sonho. Lula é político, mas poderia ser artista, comediante. A gente acostumou a levá-lo na brincadeira, como se ele fosse apenas uma figura decorativa, um bobo da corte (e ele não foi muito mais do que isso mesmo, mas fez um papel bem-feito ao fim que se destinou, não vou discutir isso).
Só que a arrogância de Dilma se sobrepõe a qualquer tentativa de ser engraçadinha, gente boa, malandrona (como o Lula durante seus mandatos). Ela não é o Lula! Ela é tosca, grosseira, radical e atrás dessa armação de marketing com a imagem do nove-dedos que o PT fez, dando a falsa impressão de que o governo vai continuar exatamente igual com a saída do Lula para a entrada de Voldemort, digo, Dilma, está apenas a prova (para aqueles que terminaram a quarta série do ensino fundamental pelo menos) que a política do PT é ter uma figura decorativa no cargo mais importante do país, enquanto a politicagem rola pesada nos bastidores (vide escândalos prévios do governo Lula).
Quando eu tinha uns 16, 17 anos, usava o broche com a estrela vermelha do PT na minha mochila da escola e acreditava na filantropia utópica do partido, na garra e desejo de mudança que eles passavam nas propagandas enérgicas, firmes e ao mesmo tempo humanistas... Balela! Depois foi que entendi que é muito fácil falar quando você é oposição, mas é quando você vira situação que vemos o pulso forte (ou não) em ação. Eu senti o PT nesses anos de gerenciamento como um senhor impotente, que se rendeu ao sistema e desistiu de tentar se animar. O que salvou do desastre total realmente foi a figura cômica do Lula, que fez todo mundo levar tudo sempre como uma grande piada no final. Mas, se você é como eu e sente vergonha ao receber e-mails com piadas tipo: Tiririca diz que só vai fazer prova de Português se for o Lula que corrigir (não me conformo com essa do Tiririca, mas já falei muito disso, deixa pra lá!), se você acha que acabou a brincadeira e que não dá pra ter um palhaço que nem sabe fazer gracinhas nos representando por mais 4 anos, se você acha que nossa credibilidade não pode ser tão arriscada (se já não era lá essas coca-colas com o bobo da corte, imagina como será com o fantoche do bobo da corte... é igual aquela história, a mosca do cocô do cavalo do bandido, né?!), então... se você realmente teme isso, por favor, POR FAVOR! faça alguma coisa, ainda dá tempo.
Cabe a você analisar friamente os fatos e tomar sua decisão, pois está claro que essa guerra não está entre o Serra e a Dilma, está entre partidos e filosofias políticas, mas é ela que vai estar lá (Deus, não permita que esse futuro do indicativo se concretize) e depois que você tiver jogado seu lindo voto fora (ou pior, na boca do sapo), ela pode fazer o que quiser, principalmente dar uma banana pro seu querido Lula (quantas vezes já vimos isso). Aí, amigo... quero ver a fila de gente pedindo o dinheiro de volta por ter comprado Lula e estar levando uma Vaca no lugar. Entendeu agora? Você digitando a porcaria do 13 amanhã, estará votando nela e somente nela (somente não, tem a córgea suja toda por trás, mas isso todo mundo já sabe, não preciso entrar em detalhes). Pense bastante nisso, ok?! E se ainda assim você pensa em votar na Dilma por causa do Lula, pense na possibilidade dele, após as eleições, se mudar para Papua Nova Guiné e a Dilma ficar aqui sozinha. E aí, é o que você espera? Mas pode acontecer, não pode? Então só peço isso, analise bem o que vai fazer na urna amanhã, porque merda é bom fazer em um lugar com descarga, que jogue os dejetos em outro lugar que não na cadeira presidencial. Pense nisso! O Serra não era meu candidato favorito, mas antes alguém inteligente e com experiência do que aquele fantoche mal acabado. A situação é séria, reflitam, liguem-se antes que seja tarde. Nessa despesa aí, um passo em falso não tem reembolso.

29.10.10

Ali

Fui ali me livrar de todas as dores de cabeça e mandingas que há.
Fui ali jogar a tabuada fora e eliminar os problemas chatos que não param de incomodar.
Fui ali ver se eu estou na esquina, vendo a banda passar.
Fui ali abrir a janela pra deixar o sol entrar.
Fui ali e não sei se vou voltar, nem se vai ser já.
Fui ali tomar um banho de mar pra me purificar e energizar.
Fui ali me jogar, saltar, me arriscar.
Fui ali onde você nem imagina que eu possa estar.
Fui ali onde  não quero revelar.
Fui ali agradecer por conseguir me libertar
Da vida que eu levava, dos sonhos que sonhava e da realidade que ignorava.
Fui ali valorizar-me como indivíduo, mandando quem me magoa pro meio da merda
Mandando o dedo do meio para aqueles que se incomodam com a minha felicidade
Torcendo para que eles saibam como utilizá-lo bem o suficiente pra fazerem a sua própria felicidade
E esquecerem da minha existência
Fui ali conversar com Deus e agradecer por Ele mesmo fazer as faxinas na minha vida, quando eu não consigo, quando eu tenho preguiça ou medo ou apego em demasia
Fui ali agradecer também por Ele levar pra longe o mal, não deixando que ele me atinja
Por liberar minhas gavetas e cabides de vez em quando, pra que eu possa guardar novas coisas, novas lembranças
Fui ali respirar fundo, ar puro, paz, silêncio e equilibrar minhas energias vitais
Fui ali buscar novidades, novos motivos pro sangue correr forte na veia, pra sentir a vida pulsar aqui dentro.
Enfim... fui ali buscar mais inspiração pra continuar escrevendo e sorrindo, e xingando e chorando, pois é disso que a vida é feita e eu sou muito grata a tudo isso. Nada é por acaso e nada acontece fora do lugar. No ciclo da vida, tudo se encaixa de certa forma.

Shakespeare, o Homem da Minha Vida

E estou falando do verdadeiro, tá?! Não conheço tudo que ele deixou escrito, mas tudo o que conheço me agrada, e cada vez que deparo com uma nova citação, me encanto como se fosse a primeira vez...
Não precisava de muito, pois uma mente conturbada o bastante pra criar um romance impossível, cheio de preconceitos e tragédia e fazer com que se torne uma das mais famosas obras da literatura mundial tem que ser uma mente brilhante. Não foi por sorte que ele transformou Romeu e Julieta em inesquecível e atemporal, ele era competente mesmo, ilustre, brilhante... Chega, não vou ficar puxando o saco do cara (mesmo porque o que o nome Shakespeare representa hoje em dia, não precisa de uma besta ficar dizendo como ele é f#da), mas um comentário engraçado é que quando penso nele como artista, por vezes não consigo assimilar que seja alguém nascido em 1564. As falas dele não vieram com prazo de validade, acho que por isso fazem tanto sucesso. Sem falar no quanto ele era eclético, capaz de mesclar comédia, romance e tragédia brilhantemente. Tem pra todo gosto no acervo dele (que muitos dizem que não é dele de verdade) e certamente você conhece mais de Shakespeare do que imagina, pois subnicks de MSN, status de Orkut e Facebook, e-mails com anexos em PPS... enfim, em tudo (principalmente no mundo "online") é possível e provável encontrar vestígios dessa criatura brilhante, que toca minha alma, puxa minha orelha e me mostra que os problemas impossíveis que eu tenho não são só meus, que todo mundo passa pelas mesmas coisas (até no século XIV já era assim), o que difere é a forma que cada indivíduo reage a elas (aprendi isso com ele, confesso).
Por vezes leio coisas que ele escreveu e lembro de provérbios chineses, da sabedoria e do aconselhamento sutil contido nas entrelinhas, mas vejo Shakespeare com olhos mais amigáveis, pois sinto uma certa arrogância na sabedoria chinesa. De qualquer forma, estou falando de coisas muuuuuuuito antigas e que encaixam perfeitamente na nossa realidade de hoje em dia (e provavelmente em 2087 ainda será assim). Onde eu quero chegar? Pare pra pensar, sabedoria não tem idade e não envelhece.
Pra encerrar, nada melhor que palavras do meu querido e tão amado.
"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado."

E não me venham comparar Shakespeare com Clarice Lispector. Não tenho nada contra ela, mas essa modinha virtual em torno do nome Clarice já me irritou. Eu tiro minhas próprias conclusões e fico muito p da vida com gente que diz amém a tudo que é modinha só pra passar a imagem de "antenado", de "cool" (e principalmente para não se enrolar se tiver que explicar porquê gosta ou não gosta de certa coisa, é muito mais fácil acenar com a cabeça e dizer: "É irado, eu me amarro também"). Minha dica é que leiam mais Shakespeare, mais Fernando Pessoa, mais Drummond, mais Veríssimo... Enfim, tenham variedade. Ser eclético é uma virtude e um dom comum, pena que poucos saibam como utilizar.

Tédio

Tédio, estresse, sono, mal-estar e TPM, tudo junto e misturado num pacote só (e esse pacote sou eu). É, tá bom pra mim, viu?! Se conseguir me arrastar até meio-dia sem cortar os meus pulsos ou os de outrém, já estou no lucro pro resto do ano. Será que alguém vai sentir minha falta se eu não aparecer na reunião?


Hoje sinceramente é um daqueles dias que se eu pudesse, virava água só pra evaporar, virar nuvem e sair por aí, só acompanhando o vento, sem lenço, sem documento... Tô de bode e nem sei direito porquê, só sei que se tivesse opção, nem eu ficaria perto de mim mesma hoje.

28.10.10

Tudo Pelo Frio na Barriga

Dizem que relacionamentos começam pelo olhar, pelo sorriso, pelo toque, pelo cheiro... Pode ser por tudo isso, mas pra durar mais do que os cinco segundos da atração, tem que ter é frio na barriga. Aquela falta de ar discreta, mas que você jura que todo mundo percebe, os olhos lacrimejando e comprimidos pelo sorriso largo, as bochechas coradas, a pequena timidez que te impede de olhar nos olhos, com medo de se denunciar, a sudorese nas mãos (isso quando elas também não tremem como se você tivesse Parkinson), sentir que as pernas são feitas de borracha e sentir aquela âncora puxando tudo que está por dentro, na região toráxica, pra baixo, como se quisesse sair de dentro da gente... É disso que tô falando!
O frio na barriga está diretamente ligado à paixão e é tudo o que te desequilibra, faz você dar mancada mesmo, rachar a cara... É engraçado até! Quantas vezes você já não parou pra rir com um namoradico lembrando das coisas tontas que fez na fase da conquista? Sempre tem uma história. A nossa preocupação em mostrar o que temos de melhor e camuflar os defeitos é tão grande que a gente desconcentra, se perde. Acho que é o instinto caçador que fala mais alto, estimula pra que façamos tudo pra conquistar o outro, pra mostrar que somos a última fatia de linguiça na feijoada. E não adianta ler livros de auto-ajuda, a Nova Cosmopolitan ou ir ao pai-de-santo pra buscar conselhos, um passo-a-passo pra não dar mancada, as mancadas fazem parte da conquista.
Mesmo que saiamos do campo sentimental, em um emprego novo também é a mesma coisa, se aquilo te estimula e você deseja muito uma vaga/ promoção, vai se dedicar ao máximo para conseguir se destacar entre os demais e alcançar o objetivo. É normal, é do ser humano. Por isso que a maioria das grandes empresas hoje em dia exploram os planos de carreira, para manter o funcionário empenhado e , sempre motivado pela possibilidade de crescimento profissional.
Então, eu por aqui só fico torcendo para que nunca me falte frio na barriga, expectativa, esperança e até um pouquinho de dúvida pra manter sempre os olhos bem abertos pros acontecimentos à minha volta...

Gente, desculpa aí mas pra não colocar mais um post na minha pasta de rascunhos (porque pela milésima vez tive que interromper o pensamento por causa de um chato sem-noção, desses que gostam de atrapalhar teu espaço vital, mas isso já é assunto pra outro post), eu vou ter que clicar no "publicar postagem" sem ler o que escrevi até aqui e e sem concluir meu raciocínio, que foi completamente desviado agora. O mau-humor tomou conta de mim neste momento e vou lá terminar de ler meu Harry Potter do coração pra ver se equilibro o Yin e o Yang, porque neste momento sinto que o Yang bateu no Yin e esse entrou em coma profundo. Se der, volto depois e faço um update de conclusão do post. Beijos!

PS: Eu odeio MUITO gente chata!

26.10.10

Estou Tentando

Tentando não perder a calma, a serenidade, a paciência, a esperança...
Tentando não desanimar, não me empolgar demais, não sofrer, não fazer sofrer, não ver lágrimas no caminho...
Tentando ser imparcial, amena, tranquila...
Tentando arrumar inspiração pra fazer um post bacana, mas até agora todas as tentativas foram falhas.
 E vendo essa foto aí eu lembrei quanto os momentos mais simples são os que mais importam. Que a correria pelo sucesso profissional não me afaste de tudo que realmente alimenta minha alma, amém!

22.10.10

Desapegue-se

Descobri que metade dos meus problemas ganham status de "insolucionáveis" por conta de apego. Seja apego físico ou emocional, material ou espiritual. Óbvio que não estou sugerindo desapego total, pois isso seria o extremo do egoísmo. Vou tentar explicar melhor...
Me refiro ao apego que tendemos a ter com coisas/ pessoas/ momentos que PRECISAM ser apenas passageiros. Nos agarramos às coisas que nos agradam e sofremos porque não aceitamos que tudo na vida é passageiro (até o cobrador e o motorista nesse caso... rs). Exemplos? Claro, por que não?
Garanto que você tem uma roupa (pelo menos uma peça) que te custou o olho da cara, que fazia você se sentir a última picanha do rodízio, mas que simplesmente não te serve mais (há muito tempo, diga-se de passagem). Você sabe que as chances de encolher o suficiente pra caber naquele pedaço de pano são remotas (precisaria de um HIPER hipertireoidismo, por exemplo), mas cadê que consegue colocá-lo no "saco do pobre"? (mesmo sabendo que sua prima de 13 anos ia ser a pessoa mais feliz do mundo com a "roupitcha"). Aí eu te pergunto POR QUE?
Porque é do ser humano acumular lixos na própria vida (leia-se lixo como qualquer coisa que não nos serve mais). Quantas vezes já ouvi histórias das amigas da minha mãe (e hoje em dia das minhas amigas mesmo) narrando sobre um carinha que elas pegam de vez em quando há uns trocentos mil anos, mas que o lance nem ata nem desata. Elas ficam alimentando falsas esperanças, mesmo sabendo que aquilo não vai sair do zero a zero. Por quê? Dois motivos: A lembrança dos momentos legais e a esperança de que um dia volte aquele tempo que as coisas eram assim. Pois é, como diria o sábio Capitão Nascimento: "NUNCA SERÁ!" rs
Lembranças são pra se guardar na memória e como dizia o poeta: "Não há tempo que volte, amor!" Então, "vamos nos permitir", e nos permitir quer dizer deixar as coisas seguirem seu curso, sua ordem natural. Pare de sofrer pelo que você perdeu na vida, valorize o que ganha a cada dia, pois quem anda olhando pra trás tem muito mais chances de machucar os dedos do pé com uma topada em alguma coisa que esteja na frente. Enquanto você fica guardando aquele jeans que não te serve, tua prima tá se queixando porque não tem roupa pra ir àquela festa e você tá com um cabide vago a menos no seu guarda-roupa. Enquanto você está no quarto, rezando o terço do lado do telefone, pedindo à Nossa Senhora pra aquele carinha te ligar, tem um monte de gente bacana na missa com quem você poderia estar interagindo...
Enfim, a dica da vez é essa, PERMITA-SE e deixe fluir. Tudo nessa vida tem um porquê, mas de verdade? É muito mais fácil deixar acontecer do que tentar procurar respostas para esses porquês. Desapegue-se do que já não encaixa mais na sua vida e seja feliz!

21.10.10

Timeless

Tanta coisa pra escrever e faltam inspiração e tempo!
Tempo, tempo, tempo... Falta tempo mesmo. Estou me sentindo a lebre da Alice no País das Maravilhas, com aquele relógio gigantesco na mão e sempre correndo (muitas vezes sem nem saber o porquê). Tô acelerada, tô ansiosa, com os nervos em frangalhos. Maaaaaas, lembram daquela história das novidades que eu estava pressentindo? Pois é, acho que tá começando a rolar... rs
Queria contar mais, mas como disse no início do post, NÃO DÁ TEMPO. Mas a quem interessar possa, estou explodindo de felicidade!!!! Juro que tento voltar hoje ainda para falar com mais calma, mas não me abandonem! Eu sou desnaturada, mas adoro vocês. rs

11.10.10

Ontem Desisti de Você

Na verdade, ontem é apenas metáfora, mas eu desisti de você de verdade, finalmente! E nem adianta usar essa boca desenhada, esses dentes alinhados, essa mão pesada pra me convencer que ainda não é chegada a hora de seguir meu rumo.
Eu já estou seguindo meu rumo faz tempo, e olha a novidade, ele me leva pra longe de você. Longe da sua ignorância, da sua incerteza, das suas neuras e de suas broncas. Estou navegando em um mar sem correntezas agora, passando por caminhos onde eu decido passar, sem a influência de tuas palavras duras.
Não, querido! Não chore nem lastime, pois é sabido de longe que isso iria acontecer. Te avisei por vezes e vezes que fosse forte em decisão, não apenas em palavra, que cultivasse a árvore para que não lhe faltasse o fruto. Pois bem, você me ignorou e agora precisa também ignorar a tristeza que eu sei que terás em saber que não mais me arriscarei por migalhas de teu prazer.
Chega, não há porquê de tanta explicação. Sabíamos os dois que nossa paixão era chama de vela, que mesmo sobrevivendo aos ventos que sopravam em torno (com intenção ou não de apagá-la), uma hora se apagaria inevitalvemente pelo fim da parafina. Acho que ela chegou ao fim então, pois não é por causa de uma ou outra coisa que minha vontade de te ver não mais existe, é simplesmente porque não tenho mais paciência para todo esse joguinho, trabalhoso e fadonho, que no final não tem mais a recompensa no valor que costumava ter...
Você é moeda desvalorizada, é jóia falsa, é aquele anel da música (o que era vidro e se quebrou)... E se o anel é você e quebrou, cato então seus pedacinhos e faço um mosaico para pendurar na minha parede, no canto das memórias. E ouso dizer que tu serás o mosaico mais bonito entre eles, pelo menos até agora!!!

Esse texto já estava na cabeça há muuuuuuuito tempo, mas só hoje senti total liberdade de escrevê-lo. Acho que hoje tenho certeza da força das palavras que usei...

8.10.10

ESGOTADA

É, me disseram isso essa semana ao ver meu par de olheiras quase de estimação: Nossa, você tá esgotada!
É, tô sim... Mas e aí? E agora?
Ah, vou tomar um Dramin com vinho e ver no que dá.
Fui...

Ai, Como Dói!

E eu estou falando de dor física. Desta vez o stress parece ter arrombado todas as portas da minha imunidade... Gente, estou pensando em alguma ziquezira que eu não tenha neste momento. Gripe, dor no corpo (especialmente na cabeça e nas costas), insônia, depressão, infecção urinária, prisão de ventre, cabelo caindo, unhas quebrando, dor no peito, inchaços especialmente nos pés e pernas...
Gente, das duas uma: Ou a idade tá chegando antes da hora e em doses exageradas ou o stress do trabalho e da vida pessoal (em medidas muuuuuuuuito menores) estão me derrubando.
Tô com medo! Mas também tô com dor e também tô com preguiça. Uma leseira absurda e uma certa vergonha de chegar no médico e responder assim quando ele perguntar - O que você tem? - Tudo, doutor, pode me internar no Pinel... Tá osso!
Me desejem sorte e que o Dramin não pare de fazer efeito (só tô conseguindo dormir à base dele) e que o Dorflex ganhe logo uma versão CAF, pra fazer efeito mais rápido e não me apagar do jeito que tem sido... Eita folguinha mais ou menos, viu?!

5.10.10

Ironias do Destino

Parece que finalmente vou conseguir me mudar!!!
Com a novidade, logo me animei em voltar a pesquisar os itens principais que preciso comprar para a casa nova. Entre eles, a geladeira. Eis que estou amarradona no site da Brastemp, procurando entre vários modelos e cores e blá blá, quando de repente, me deparo com essa imagem:
Pra quem me conhece, já sabe que eu PRECISEI escolher esse modelo. Pôxa, já no anúncio vêm mostrando um lugarzinho especial para colocar minhas latinhas de Smirnoff Ice (que caso alguém não saiba, eu amo de paixão)? Tem que ser essa!
Podiam ter colocado latinhas de coca-cola (eca), de Brahma, de Pitú... Mas não... Essas latinhas me deram um sinal... ahahahahahahahahahahhaaa

4.10.10

Politicamente Correta

Estava conversando alguns minutos atrás com um ex professor de Inglês que vive fora do país pelo orkut. Já que tinha feito o apelo pelo blog e muita gente me procurou para discutir sobre meu "Não vote na Dilma" no final de um post, achei bacana transcrever a conversa aqui. Teacher, assim é como vou chamá-lo (pois ele acompanha o blog e eu não pedi permissão para citar nossa conversa aqui... rs).

Teacher diz: "Não gosto de Dilma, mas Serra me apavora ao ponto de me fazer bater na madeira por algumas semanas."
Cíntia Echel: Eu sinto algo parecido, mas por ela! E o pior, não pude votar no primeiro turno porque estava embarcada, mas no segundo estarei em terra (infelizmente). Vou justificar, não quero participar da cagada q eu nem ajudei a começar...
 
Teacher: Eu fico preocupado. Por mais que eu discorde de muitas coisas da Dilma (a ponto de não achar ela, nem mesmo Lula, o que eu chamaria de bom político), a bagagem liberal e preconceituosa do Serra que há tanto tempo empacou o Brasil me causa arrepios. Tava vendo os colunistas da Veja - q define bem o perfil do Serra - online e os caras me dão nojo. Tipo de discurso falando indiretamente de "gentinha", "povão", de "bolsa vagabundo isso ou aquilo"...acho isso preocupante: que olhem só pra parte bem-sucedida dos EUA como modelo de país desenvolvido e quererem fazer o mesmo no BR. Estamos mto mal parados, esse é o maior problema.
Cíntia Echel: Concordo com tudo o que é dito do Serra, mas se pararmos para analisar, o que seria Dilma na presidência? Bem, tiro pelos debates que vi semana passada, pra ser breve. Eu enxerguei um fantoche descarado que nem coube direito na fantasia. Meu maior medo com relação a ela não é que ela seja um fantoche (com isso já convivemos por 8 anos, daria pra suportar mais um pouco), o problema é que no discurso dela notei vários indícios de que esse fantoche na verdade é um lobo na pele de cordeiro, capaz e disposto a se livrar da fantasia logo que "sentar na cadeira do poder" (como ela mesma disse, estilo Mun Há) e se volte contra a política que vem sendo adotada por seu partido. Acho que ela seria capaz de fazer isso sim, pois não é tão "branda" quanto está parecendo ser. Estamos entre a cruz e a espada mesmo! Sorte sua não viver no Brasil, viu?! E pra gente aqui, por enquanto, sorte de não morarmos na Venezuela ou na Bolívia.

Senti saudade como o Renato Russo: de tudo que eu ainda não vi! Uma política onde as pessoas não fossem às urnas apenas por obrigação (porque não dá pra abrir crediário nas Casas Bahia se o título estiver com "pobleminha"), que as que fossem o fizessem com esperança naqueles que estão sendo votados (e não porque eles prometeram pagar 60 reais, como uma amiga até bem estudada e com emprego fixo me contou que ia fazer ontem) e principalmente que ainda existisse a diferença entre partidos de direita e esquerda, bons e maus e sinceros e mentirosos. Onde política fosse sinônimo de governo, de luta, de pensamento coletivo, de melhoria, de qualquer coisa em prol do coletivo e não de corrupção e egoísmo, como tem sido ultimamente.

3.10.10

Tem Dias...

Que dá vontade de não acordar... Não por tristeza, mas por preguiça em si!
Gente, como estou cansada (e não é cansada no sentido físico, mas no mental, o que é muito pior). Tudo que eu queria na vida neste momento era uma temporada em um Spa ou Monsteiro Budista... Ia ser perfeito! Ficar na base do "Ôuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuum", refeições saudáveis e silêncio!
Ah, silêncio, como te prezo e te estimo. Como gostaria de desfrutar mais minutos de ti. Parar de escutar o barulho da cidade, da plataforma, dos problemas e de mim mesma, da minha mente e do meu coração.
Tô precisando de solidão, sabia? Tô precisando de paz....

Seguidores